Meta de Marconi é multar 90% dos motoristas goianos só em 2017

Em 2015, 33% dos motoristas goianos conseguiram passar o ano inteiro sem serem multados. Em 2016, esse número caiu para 26,6%

E a perspectiva para esse ano é que apenas 10% dos motoristas goianos passem o ano inteiro sem nenhuma multa. É essa a meta que o governador Marconi Perillo (PSDB) repassou à Agetop e ao Detran-GO. 

A frota total do Estado é de 3,7 milhões de veículos. Desse universo, esse ano, mais de 860 mil, entre carros 1.0 e motos até 125 cc poderiam pagar a metade do imposto (quem não é multado tem desconto de 50% no IPVA), mas apenas um pouco mais que 250 mil têm, de fato, essa dedução na conta. Isso porque 70,9% dos condutores cometeram alguma infração ou não pagaram o boleto na data marcada. 

Central
Marconi inaugurou recentemente o Centro de Controle, Operação e Fiscalização das rodovias (CCOF), uma central de videomonitoramento que multa, 24 horas por dia, todo o tráfego em todas as saídas e entradas de Goiânia. Agora será possível multar um mesmo motorista até oito vezes num mesmo segundo, detectando falhas na direção, cinto de segurança, posição das crianças no carro, uso de telefone celular ao volante, IPVA atrasado, origem do automóvel, excesso de velocidade, estacionamento irregular no acostamento etc. 

Na prática, o governo goiano institucionaliza e aperfeiçoa a indústria da multa. A meta do Estado é multar cerca de 200 mil motoristas apenas em 2017. Já estão em vigor o monitoramento nas GO-020, trecho BR-153-Autódromo; GO-040, Goiânia-Setor Madre Germana; GO-060, Goiânia-Trindade e GO-403, Goiânia-Senador Canedo. São 35 câmeras registrando em tempo real as infrações de trânsito. Em breve, novas vinte rodovias serão contempladas com o videomonitoramento.


Comentários

Política

Mais vistas

Sondagens mostram o candidato de Marconi Perillo para 2018 como um fiasco

Goiás

Concursos