quarta-feira, 28 de junho de 2017

Delação da JBS não menciona perdão fiscal de Marconi, lembra Caiado

O senador Ronaldo Caiado (DEM) chamou a atenção nesta segunda-feira (26/06) para um fato intrigante da delação premiada do empresário da JBS Joesley Batista à Operação Lava Jato

Segundo o parlamentar, foi uma delação seletiva que inexplicavelmente poupou o governador Marconi Perillo (PSDB). Ele aposta, no entanto, que que os avanços das investigações vão trazer à tona fatos como o perdão fiscal que o tucano concedeu a JBS pouco depois das últimas eleições estaduais.

“Na revelação dos fatos você nota que foi uma delação seletiva. Joesley escolheu os assuntos que deveria tratar e as pessoas que ele queria denunciar. Você viu que não fez referência a Goiás. Interessante isso. No entanto nós tivemos algo em Goiás que é inédito. Aqui temos a Lei JBS, a Lei Friboi. Uma lei que foi sancionada pelo governador Marconi Perillo e que durou de 22 a 29 de dezembro, onde o Friboi foi beneficiado com anistia de R$ 1 bilhão. Ele foi liberado de uma dívida e, no entanto, se vendeu a Celg por R$ 1,1 bilhão. Deu de presente uma Celg para JBS”, disse.

Para Ronaldo Caiado, os desdobramentos dos fatos vão mudar este quadro. “Ontem foi publicado que 86% dos brasileiros se rebelaram contra as benesses dadas aos delatores e as condições que foram dadas para não serem penalizados. Apenas uma parcela dos crimes foi denunciada. Quando outros crimes vierem à tona, como uso de informações privilegiadas e esse caso específico de Goiás, acredito que os delatores vão pagar por todos os crimes que foram praticados”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BRASÍLIA OFFICE