quarta-feira, 1 de abril de 2015

Município de Luziânia sem secretário de Educação há 3 meses


Até agora não existe nada definido. Já se passaram mais de 3 meses que ex-secretária de Educação Jaqueline Cristóvão deixou a pasta e nada do prefeito Cristóvão Tormin nomear um novo gestor para a educação municipal. De concreto, somente o fato de que a servidora Indiana (do departamento financeiro) ocupa interinamente o cargo.

A dificuldade de Cristóvão em encontrar um nome que esteja legitimamente ligado à educação e que lhe seja favorável politicamente é muito evidente. Tormin chegou a oferecer a pasta para a vereadora Luzia Diretora (PROS), que recusou o convite. A Secretaria foi também oferecida ao PT, mais precisamente à vereadora Cassiana Tormin. O Partido dos Trabalhadores também teria recusado. Cogitou-se até o nome do Secretário de Viação e Obras Wilde Roriz, o Kambão e Claese Rocha, que no momento ocupa a Secretaria de Promoção Social e Trabalho, mas nenhuma das possibilidades se concretizou.

Desafios do novo secretário de Educação

Dentre os desafios do novo gestor da pasta estão questões como: Realização da Prova Brasil já no próximo semestre, pagamento do Piso Salarial dos professores, melhoria da relação entre secretaria e trabalhadores da educação, dois concursos que se encontram questionados na justiça, inclusive com decisão judicial que orienta exoneração de servidores já empossados e a principal de todas, a insatisfação da categoria com a atual gestão municipal.

Perfil do novo gestor

Diante dos desafios, infere-se que o novo gestor seja capaz de dialogar com a todos os seguimentos que compõem a educação municipal e que tenha o respeito e o reconhecimento dos trabalhadores da educação para que consiga superar tais desafios.

Oportunidade de avanços

Entregar a pasta, neste momento, a um gestor que não tenha essas características só aprofundará o abismo que já existe entre o governo e a maioria dos trabalhadores da educação. Essa indicação é um trunfo na mão de Cristóvão Tormin. Se indicar um nome que tenha ligação com a educação municipal, que seja mais técnico do que político e que tenha liberdade para fazer as reformas necessárias, poderá resolver dois problemas de uma só vez: Melhorará a educação do município, assim como sua relação com os servidores da maior pasta de seu governo.

Dilma fez o certo ao indicar o professor Renato Janine para o ministério da educação, vamos ver se Cristóvão fará algo parecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BRASÍLIA OFFICE