Prefeitura de Luziânia manda R$ 540 mil para a conta da ACIL


Apoiado em uma lei aprovada na câmara, mas sem licitação, o prefeito Cristóvão Tormim liberou R$ 540 mil para a Associação Comercial e Industrial de Luziânia realizar o evento. Mas a entidade passou a bola para o promoter Ubiratã

Sem licitação e tendo como garantia apenas um convênio aprovado pela câmara sem mencionar valores, a prefeitura de Luziânia depositou na conta da Associação Comercial e Industrial de Luziânia (ACIL) a quantia de R$ 540 mil para bancar despesas com a 23ª Expoagro. A operação relâmpago aconteceu da seguinte forma: no dia 10 de setembro a câmara municipal deu um cheque em branco ao prefeito Cristóvão Tormim (PSD), aprovando um convênio entre o poder executivo e a ACIL. O Artigo 2º da lei diz que: “O poder executivo repassará à Associação Comercial e Industrial de Luziânia, recursos financeiros, tendo como base o Plano de Trabalho apresentado pela mesma, sendo os valores determinados por ato do próprio chefe do poder executivo”. 

Com liberdade para agir, dois dias depois do aval legislativo (12/09), Cristóvão autorizou a realização do empenho nº 20131046024877 e um dia depois (13/09), mandou depositar mais de meio milhão de reais na conta da Associação, mesmo sem a ACIL ter apresentado o Plano de Trabalho, exigido no Artigo 2º da lei que autorizou o convênio. Na verdade, o Plano de Trabalho só foi apresentado aos vereadores em 19 de setembro, seis dias após a liberação do dinheiro. 

O presidente da ACIL, Evandro Casagrande, conhecido como Mano, se reuniu com os parlamentares pela manhã. Surpreendetemente, ele estava acompanhado do promoter Ubiratã Neto, principal coordenador do último Cowboy Nigth, Ubiratã não é servidor da prefeitura e nem tem ligação com a ACIL. “Eles disseram (Mano e Ubiratã) que as emendas dos deputados Valcenôr Braz (PTB) e Sônia Chaves (PSDB) não foram aprovadas pelo governador Marconi Perillo e que por isso, tiveram que pedir socorro à prefeitura”, disse a vereadora professora Edna (PSDB). 

Nossa reportagem procurou o deputado Valcenôr e ele negou que tivesse feito emenda direcionada a 23º expoagro. “O Ubiratã me ligou pedindo que eu entrasse com emenda no orçamento do Estado para festa da pecuária. Eu estava na Cidade de Goiás. Ele ficou de me procurar em Luziânia mas esse encontro não aconteceu. Eles sabiam que não viria dinheiro do Estado para o evento”, disse o parlamentar acrescentando que conseguiu uma verba para cobrir despesas com a segurança. “Essa verba sim, foi uma luta minha”. 

O que também causou estranheza é que na mídia a ACIL aparece como responsável pela festa enquanto a prefeitura entraria apenas com o apoio. “Na verdade a ACIL entrou somente com o nome. Quem realizou a 23ª Expoagro foi a prefeitura através do Ubiratã. Ele fez tudo”, disse um servidor da prefeitura que trabalhou no evento. 

“NÃO É COMIGO” – Outro ponto que segue obscuro é o fato de Mano ter encaminhado os meios de comunicação para falar com Ubiratã Neto. Procurado por nosso departamento comercial para anunciar o evento, o presidente da ACIL nos encaminhou ao promoter. Ele disse que a participação da entidade este ano seria mais moderada e que cabia as decisões finais à prefeitura, através do produtor de eventos Ubiratã Neto. Mano disse ainda que em 2014 será diferente. “Vamos nos organizar melhor para o próximo ano. Aí sim, teremos uma participação mais abrangente na organização da festa”.

Comentários

Política

Mais vistas

Sondagens mostram o candidato de Marconi Perillo para 2018 como um fiasco

Goiás

Concursos