segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Governo intensificará ação contra irregularidades em abatedouros

Objetivo será verificar se locais atendem regras de dispensação de resíduos e segurança do animal
Fiscais do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) intensificarão as ações de combate a irregularidades como maus-tratos aos animais, destinação de resíduos, funcionamento sem licença ambiental entre outras, em abatedouros do Distrito Federal.
 "Na verdade, nos estamos sistematizando as nossas operações de fiscalização para as atividades que necessitam obrigatoriamente de licenciamento. Iniciaremos com a operação nos abatedouros, mas temos outras previstas para postos de combustíveis e resíduos hospitalares", destacou hoje, o secretário do Meio Ambiente, Eduardo Brandão à Agência Brasília.
 Nos abatedouros, o trabalho será dividido em duas etapas, uma de fiscalização em estabelecimentos de animais de grande porte (ovinos, caprinos e suínos) e outra focada em aves.
 Este mês, em duas operações de rotina, os ficais do Ibram interditaram um local de abate de aves e outro de animais de grande porte.
 No primeiro, em Ceilândia, o abatedouro funcionava sem licença ambiental, dispensava os resíduos (sangue, vísceras) diretamente no solo e queimava a carcaça dos animais.
 No segundo, no Núcleo Rural Ponte Alta no Gama, houve flagrante de crime ambiental, com o abate de animais gestantes.
 "A Lei Distrital nº 4.060/2007 considera maus-tratos abater animal gestante. Você sacrifica o animal e descarta o bezerro, logo sacrifica duas vidas em uma sem qualquer necessidade", enfatizou o secretário de Meio Ambiente.
 Por conta dessa prática, o estabelecimento foi multado em R$ 5.608,40 e foi concedido um prazo de 30 dias para a adequação das irregularidades verificadas durante a fiscalização, sob pena de nova multa e interdição das atividades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BRASÍLIA OFFICE